• Dr. Artur Vasconcelos

GATOS - carnívoros incompreendidos




GATOS SÃO CARNÍVOROS ESTRITOS

É perfeitamente aceitável que um cão se alimente de uma dieta com uma quantidade significativa de vegetais. Gatos, não.

Não só a biodisponibilidade dos nutrientes considerados essenciais para a espécie é muito maior quando ofertados em alimentos de origem animal, mas o consumo, mesmo que discreto, de fibras e carboidratos interfere negativamente na digestão e mecanismos de saciedade.

MAIS QUE NUTRIÇÃO, HIDRATAÇÃO

O gato é considerado subespécie do Felis silvestris, ou gato selvagem africano. Há quem questione se nossos felinos, de fato, foram totalmente domesticados. Com uma evolução tão recente (10 mil anos), preservam as mesmas necessidades fisiológicas e comportamento dos seus parentes silvestres.

Ao contrário de humanos e cães, gatos têm pouca resposta à sede. O que é absolutamente normal para um animal de deserto, que recebe praticamente toda a sua hidratação a partir da água contida nas presas. Considero que todos os gatos que são alimentados com ração seca estão em desidratação subclínica. O que pode justificar a alta incidência de doenças renais e urinárias na espécie.

PILAR DA BOA SAÚDE

Três dos maiores problemas na medicina felina são facilmente corrigidos (ou prevenidos) por uma dieta bioapropriada fresca: alterações hepato-biliares, cistites inflamatórias crônicas e obesidade.

A aumento da incidência desses problemas é diretamente proporcional ao confinamento dos nossos gatos em apartamentos, com livre acesso ao alimento industrializado seco e com restrição à outros alimentos, como roedores e aves, que antes eram caçados.

O MITO DAS MÚLTIPLAS REFEIÇÕES

A indústria da ração sempre contou uma grande mentira: que gatos fazem múltiplas refeições e que isso é essencial para a saúde deles. Mas esqueceram de contar que seus “estudos” foram realizados com acesso irrestrito e exclusivo à ração seca, em ambientes de confinamento.

Na natureza, caçar nunca é fácil, ou mesmo certo. Um animal predador está fadado ao insucesso como espécie se não se adapta ao jejum. Felinos caçam presas que fornecem nutrição suficiente para um ou mais dias. Não é fisiológico que sejam alimentados inúmeras vezes ao dia.

PACIÊNCIA É ESSENCIAL

Gatos que receberam ração por muito tempo têm dificuldades para aceitar alimentos frescos e úmidos. Especialmente aqueles que não foram apresentados a presas nos primeiros 6 meses de vida tornam-se muito resistentes a novos alimentos.

Uma transição lenta e cuidadosa para uma dieta bioapropriada é o melhor caminho. O primeiro passo é determinar horários específicos para as refeições. Depois devemos inserir alimentos com texturas diferentes da ração, para enfim incluir carnes, vísceras e ossos crus, nas proporções ideais.

Mas todo esforço será recompensado. Ver esse belíssimo animal manifestando seu comportamento alimentar natural é uma das cenas mais fascinantes que podemos testemunhar. E a saúde deles é resultado direto do respeito à sua fisiologia e história evolutiva.


Não se esqueça também de cadastrar seu email para receber informações de novos conteúdos, palestras, cursos e livros, assine em www.arturvasconcelos.com.br




23 visualizações

Consultas

Para agendamentos de consultas com o médico veterinário Artur Vasconcelos:

 

Clinica Veterinária MedVet:

(31) 3495-2234

 

Clinica Veterinaria VetHealing:

(31) 2516-4994 / 99916-4994

  • Branca Ícone Instagram

arturvasconcelos.vet

ENTRE EM CONTATO

© 2019